segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Aquele que me carregou nos braços


A cada minuto que passo descrevendo minha vida, lembro das tuas palavras nos dias de chuva, dizendo com razão paterna de quem já viveu. Nunca foste de desperdícios, até nas falas era de bom senso e ia direto ao ponto. Seu apoio de joio especial me carregou nos braços quando em pernas mal conseguia me sustentar. Me atiravas ao mar quando sentias medo da água fria, me provando que devias acreditar e que os saltos nem sempre dependem de nossas próprias pernas, pois em certos casos é preciso o impulso.Apelidou-me de pequeno, filhote, filhotinho e mesmo quando não tinha idade para entender as palavras. Me cultivou em historias, e me ensinou em quadrinhos, fitou-me como tesouro raro, daqueles enterrados no coração e quando entendias do que era uma ameaça ao roubo, armava-se com punhais e dentes para minha proteção.Dias se passaram e de pequeno virei médio e de médio aos poucos fui crescendo. Hoje das palavras já entendo os desenhos, e mesmo ao mar ainda temo saltar. Hoje tenho os teus cabelos castanhos e sua face jovial. E por mais que ache que de tudo já passei, ainda me prova que de muito ainda terei de passar.

Hoje entendo o teu silêncio, e mesmo inospitamente sei que está de olho em todas as minhas decisões, ainda se preocupando nos saltos e me amparando nas quedas.Tenho seu jeito de falar, a mesma ira em se expressar. E o modo distinto de amar, e daquelas histórias que tanto admirava quando me contava hoje me admiram quando as conto.Sim, você é o meu pai... Aquele homem que crescemos vendo ir ao trabalho e com isso aprendendo o que é o sustento. Aquela voz grave que tanto tememos ao escutar, e que depois de certo tempo fragmenta em nossa mente como voz da saudade.Algumas pessoas dizem que heróis não existem, e que espelhos só servem para termos uma visão embaçada de nos mesmos.

Acho que essas pessoas não tiveram o prazer de te conhecer, pois se tivessem essa oportunidade saberiam que em seus atos a palavra heroísmo consegue seu significado mais pleno. E que se toda humanidade tivesse um pouco do teu reflexo, nada seria tão seco.Hoje eu sei que tenho muita sorte por ter alguém a quem me espelhar, alguém tão grandioso. Isso será minha maior herança.. Se um dia quando olhar ao espelho e ver que herdei os teus traços, que segui uma vida parecida a sua, será uma realização maior que qualquer sonho que guardo dentro de mim.

Um dia pai, contarei sua história para que todos ouçam, para que todos ouçam e vejam que por trás de um nome tão simples. Houve um ser humano fantástico que alcançou o amor verdadeiro. Que curou a própria dor diversas vezes, para que assim pudesse vender o remédio.
Através de um sorriso.Contarei a tua história para que o mundo possa ver, quem me carregou nos braços... Quem pra sempre e muito mais, chamarei de "Pai".

Um comentário:

Gabriele Fidalgo disse...

Esse texto é de sensibilidade e realismo admiráveis. :)