sábado, 7 de novembro de 2009

Sabado para quem quer sabado!


È a merda de um sábado chato! As pessoas andam pra cima e pra baixo com guarda chuvas para tampar o fator gama do sol. A maioria nem sabe disso, não sabe do câncer de pele, da radiação solar ou sobre novo filme do Hulk! A única coisa que é exata fica com que as novelas dizem ou a moda de andar com uma “sombrinha “ com a cara da Madona estampada na lateral.

È sábado e o tédio parece arrancar cada centímetro do meu pulmão. Metade dos meus amigos desceram para Praia a outra metade faz cálculos para faculdade de engenharia. Já repassei mil vezes um evento que eu possa fazer, mas é tedioso demais. Poderia ir ao Shopping tomar um refresco, mas seria solitário passar um sábado olhando o reflexo de um copo de suco! Poderia ir ao cinema, assistir um filme nacional para rir de algum palavrão de excesso dramático, contudo o clima romântico de sábado num cinema me deixaria deprimido!
Revejo os números da minha agenda eletrônica no celular e nada... Somente uma mensagem de fora de área! Se não me faltasse carro ligaria o motor e dirigiria até encontrar o último por do sol.
Ah! Tudo é tão sábado... Tudo tão cidade pequena, de dia atrasado de nada a fazer.
Sento no sofá e abro as centésima pagina de uma biografia idiota de um escritor Best seller. Não faço idéia quantos livros consigo ler quando o tédio maltrata minha alma. Eu sei que daqui a pouco vai vir o desespero. Começa com a falta de inspiração, depois vem  a culpa, o medo, e por último o desespero! Quando isso chega não importa quantas linhas você leia, sua vida fica sem sentido. E quando a vida fica sem sentido todo sentido é um sentido perdido!
È sábado e aposto que algum judeu proclama Sabbaoth em alguma sinagoga em Israel.

Sábado que acordei em instante agora... Sábado com trilha sonora acelerada.             
Eu sei os poetas não deveriam viver tanto! Sou o único da minha época vivendo um sábado de lentidão.
Alterno não sei quantas canecas de café para ver se meu estimulo chega, minha esperança dilui em liquido negro açucarado. Meu dia é uma ulcera descafeínada, cheio de bancos que deixam resíduos de má postura. Cheia de talento mal desenvolvido, sem diploma universitário, sem livro publicado. Meu dia é um sábado parado, um sonho quebrado cujo final sempre acaba na melhor parte. Sempre acaba na tarde de um sabado chateado.

3 comentários:

Luiza Callafange disse...

Eu adoro os sábados. É um dia que eu posso acordar sem pressa, tomar meu café, esperar um pouquinho enquanto leio um livro, depois ir fazer cooper, malhar muitão e terminar me sentido realizada, tomar um banho super refrescante, ajudar na cozinha, almoçar, lavar a louça (eu adoro fazer isso quando está quente) e finalmente, me empenhar em fazer meus trabalhos e ler tudo que eu preciso ler para a semana, adiantar as coisas, finalizar outras. Ai, é ótimo. Também não tenho diploma, mas não estou buscando por ele, estou buscando pela realização do eterno aprender...É um pouco difícil com tanta coisa de uma vez para fazer, mas de qualquer maneira eu me esforço ao máximo.
Claro que tem os outros dias...Dias em que isso muda. E quando eu não tenho nada para fazer, faço caminhada no parque, compro presentes ou faço cartas para pessoas queridas, escrevo, leio mais, ouço música, canto alto, vejo filmes em casa ou no computador - só fui sozinha ao cinema uma vez, e realmente é bem agoniante. Ah, e pode ser meio fútil, mas eu me divirto olhando as coisas coloridas e aleatórias das lojas das ruas e dos shoppings...Sei lá, não quero mais uma vida monótona sabe? Cansei.

Desabafos, Palavras apenas...ou não disse...

[eu sei q nem estar postando eu deveria mas, tive uma sensação estranha quando li seu texto...a maioria deles me tocam...e esse foi muito profundo]

Rosi disse...

já passei por muitos sábados dessa forma, era deprimente... mas sabe que às vezes sinto uma nostalgia... por que era bom ficar entediado (às vezes), agora não tenho mais tempo para ficar entediada aos sábados chuvosos e nem para sair ou estar com as pessoas que gostaria, agora fico fadigada ou entediada no trabalho (rsrsrsr)... faz mais de um ano que não fico um sábado sequer em casa :( mas tudo na vida são escolhas ... e nunca estamos satisfeitos, sempre tem algo que incomoda.